Sobre Gordas Felizes

Esse site é maravilhoso.( http://lugardemulher.com.br/ ) Indico fortemente. Mas esse texto é genial. Precisava partilhar.

Dá pra ler todo aqui: http://lugardemulher.com.br/gordas-felizes/

Passamos a vida toda ouvindo que se tivermos o corpo ideal que vemos nas revistas e na tv, vamos obter amor, sucesso e felicidade. Tudo que a gente quer, né? Então todo mundo acredita nisso e investe tudo o que tem para alcançar o peso mágico que trará todas as maravilhosidades prometidas.

As pessoas passam fome, tomam remédios perigosos, se matam na academia e passam a vida inteira se odiando enquanto lutam pela tão sonhada felicidade que virá com o corpo perfeito.

Daí enquanto está todo mundo ralando atrás da felicidade, aparece uma gorda e diz: TÔ ÓTIMA E SUPER FELIZ, BEIJOS. É como se ela tivesse furado a fila. Você lá comendo 27 claras de ovo para tentar ser feliz e ela sendo feliz do jeito que está? Faz todo seu #foco #força e #fé parecer inútil, né? É pra morrer de ódio mesmo.

Mas o problema disso é que magreza não equivale a felicidade. Só equivale a dinheiro no bolso de empresas que lucram com a infelicidade alheia.

A raiva que uma pessoa sente ao ver uma gordíssima como a Tess fazendo sucesso e sendo feliz deveria ser direcionada a quem ganha dinheiro com a sua infelicidade, não a quem conseguiu burlar o sistema.

O ódio que se sente não é da gorda feliz. É de perceber que talvez esteja buscando a felicidade no lugar errado.

Anúncios

Sobre biquínis e aceitação

20150101_144906

 

Passei o final do ano numa ilha. Passava o dia de biquíni. Acabei tirando várias fotos assim. Depois fiquei meio constrangida de colocar essa fotos nas redes sociais. No fim, coloquei uma bem grande como capa do facebook. Esse fato e mais alguns me fizeram refletir bastante.

Meu irmão foi morar em outro estado tem um ano. Ele veio pra cá esse mês. Quando o vigia do condomínio o viu, veio comentar comigo “Seu irmão tá aí? Ele parece que gostou do sul, né? Tá mais pesado…” Na hora eu respondi “Não sei, eu não fico pesando ele” mas foi pouco. Devia ter respondido: “Não sei, não é da minha conta”. Meu irmão é gordo. Mas o peso dele não é da minha conta. Menos ainda da conta do vigia. Não é direito de nenhum de nós comentar sobre o corpo dele.

Mas se você é gordo as pessoas acham que isso dá direito a elas de fazer comentários sobre o seu corpo, sua vida, sua saúde… “Mas isso não é saudável…” Você olhou meus exames?

Conversando com o meu irmão sobre peso, emagrecimento e cirurgia que eu assumi pela primeira vez. O maior motivo para eu ter feito a cirurgia foi preconceito das pessoas. Eu não tinha problemas de saúde, sempre fiz muito exercício, me sentia bem com o meu corpo.

Minha vida está melhor, está. Mas o que mudou não fui eu. Foram os outros. Agora se eu vou em um médio eu não escuto que eu tenho é que parar de comer pizza ( Sim, um médico já me falou isso. ). Quando eu vou em um médico agora ele realmente procura saber qual é o meu problema. Se eu entro em uma loja de roupa, tem o meu número.

Mas daí a gente emagrece e acha que tudo vai se resolver. Não vai. Porque se quando você é homem gordo as pessoas acham que podem dar opinião sobre o seu corpo, quando você é mulher não importa o seu peso. As pessoas vão comentar. Da maneira mais cruel que podem. Independente do quão bonita você é.

Tenho amigas lindíssimas que moram na Bahia e não vão à praia porque tem vergonha de colocar uma roupa de praia. Tenho amigas que não tiram o sutiã na frente do namorado.

Então… meu conselho hoje pra quem quer emagrecer com ou sem cirurgia é: Você quer? Vai se sentir mais confortável ou mais saudável com isso? Então faça. Mas saiba que não tem nada de errado em ser gordo, a culpa não é sua e as pessoas vão continuar falando merda. Independente do que você faça.

A parte boa disso tudo é que você, provavelmente, não deve nada pra essas pessoas. Então a gente pode deixar de ouvir, pode ignorar e pode inclusive falar “Não é da sua conta”.

Quanto a mim, Eu gostaria de perder uns 7kg de gordura e  ganhar uns 5kg de músculo. Estou caminhando nesse sentido, talvez eu alcance isso em algum momento no futuro. Mas certamente não vou esperar isso pra ser feliz. Vou por meu biquíni e vou pra praia. E se lá eu quiser comer uma moqueca, um picolé ou um milkshake, vou comer. Se você se sente desconfortável com  as minhas estrias, me desculpe. Mas não dá. Já é difícil cuidar da minha vida, imagine se eu for cuidar e levar em conta a opinião de todas as 7bilhões de pessoas desse planeta?

Faço um exercício também pra não cuidar da vida dos outros. Agora que eu passo menos tempo falando pro meu irmão que ele tá gordo eu tenho mais tempo pra conversar sobre a vida nova dele. Quando eu fofoco menos com as minhas amigas tenho mais tempo para falar sobre os meus sentimentos. Quando deixo de imaginar o que as pessoas tão pensando, tenho mais tempo pra nadar com o meu namorado, que inclusive, adora os meus biquínis.

Minha filosofia sobre a aceitação das outras pessoas é: Fodam-se as outras pessoas.